Pesquisar este blog

As Asas do Condor


Durante muitos anos,o Condor se preparou para voar soberano pelos Ares, em todas as camadas; em todas as direções cobrindo longas distâncias, aproveitando para construir sua sabedoria...
Durante estas andanças, o mundo passou sob suas Asas e ele apenas observou, parecendo distante, porém utilizando-se de todos os seus sentidos apreciou cada detalhe em sua viagem .
Pela sabedoria,construída através dos tempos, tornou-se naturalmente conhecedor de todos os segredos...
Sob o que foi observado é que vamos falar...
Sejam muito bem vindos ..
O CONDOR....

contador


contador

quinta-feira, 24 de junho de 2010

As curvas do infinito, fazem parte do destino de cada Ser

As curvas do destino...


Tudo se encontra em algum lugar... até duas retas que seguem em paralelo se encontram, ainda que na tênue linha do horizonte. Então, falar em eternidade, é se colocar diante da vida com as limitações de quem vive apenas um pequeno lapso de tempo, comparando-se com a idade do Universo.
Na verdade não quero falar sobre fisica ou mesmo formular alguma teoria empírica e descompromissada a respeito do Universo, para depois dizer que uma inteligência superior o criou...
Quero apenas estabelecer o lugar em que me encontro. Isto sim é importante... para mim...
Estou em minha montanha mágica, caminhando como sempre e admirando tudo o que existe neste mundo e no outro também. Estou distante é verdade, mas nunca ausente dos problemas e das dificuldades que insistem em caminhar par e passo comigo.
Pois bem, não tenho dificuldades que não sejam materiais, isto porque acho que nunca aprendi a conviver bem com as coisas materiais, pois elas de alguma forma me deixam infeliz. Isto pode parecer um absurdo para muita gente, mas esta é a grande verdade.
Levo portanto, uma vida simples, regada a muitas sensações a cada momento. E, são estas sensações que dão sabor a todos os meus momentos. Alias, esta eterna continuidade de doar todos os meus sentidos e sensações é que condimentam minha vida, com pitadas de ausência de bens e necessidades financeiras momentaneas.
Mas não adianta, não sei viver bem e sempre estar tirando lucro de tudo.
Trabalho muito é verdade, mas nem por isso ganho muito... e talvez porque eu nunca reclame as pessoas achem que vivo sentado em uma montanha de dinheiro, e felicidade.
Mas a felicidade não é o dinheiro e, sim minha capacidade de poder entender a vida e viver junto com ela, sem nunca querer abandonar o barco, apesar de estar sentindo o peso da idade e o cansaco.
Continuo minha caminhada em busca de notícias de seres e anjos ou pessoas que vivam em minha montanha e precisem de alguém para levar suas mensagens. Porém, bem mais devagar, muito mais lentamente do que caminhei antes, até porque me decepcionei muito com muitas mães as quais amparei. Elas são possessivas e, não querem se modificar, elas querem que o ambiente seja modificado por elas, sem querer considerar as outras pessoas e os sentimentos das outras pessoas.
Elas, então se bastam e, portanto, apenas usam as outras pessoas de acôrdo com suas necessidades e, isto não acrescenta nada à vida de ninguém, nem a minha.
Viver à margem do que seja normal, ou seja, como paranormal não é uma coisa conflitante, muito pelo contrário e, bastante satisfatória, porem, quando se percebe que se está sendo usado, apenas usado, como uma forma de proteção, eu me contenho em não trazer palavra alguma a quem se aprensenta apenas como um consumidor de palavras, ou uma pessoa que só quer saber e acha que sabendo tudo, sua vida será mudada. Mas sem esforço nada se modifica. Não basta saber... é isto que as pessoas não entendem... e buscam sempre saber, apenas saber.
Querem saber como eu sei, mas não querem viver como eu vivo... acham o máximo eu ter muitas respostas e soluções, mas não se dedicam a vida delas como eu me dedico.
Isto me cansou... e, me cansa, dependente quimico que não atribui valor algum à própria vida. Como também as Mães que não souberam criar seus filhos e agora diante da morte deles tentam buscar palavras de consolo além da vida. Mas o que elas não sabem é que em minha montanha a hipocrisia não vive, quem foi mau sempre será mau e, eu nunca vou vestir de santo um que sempre viveu como demonio, ou como uma pessoa inconsequente que nunca se importou com nada nem com ninguém e, sempre viveu apenas para acorbertar e saciar suas fobias.
Acho que no final das contas muitas mães vem até mim buscar algo que lhes dê esperanças de seus filhos estarem bem. E, este algo são palavras, palavras de seus filhos. O problema é que muitas vezes ouço filhos que não querem nem saber de suas mães, porque elas foram relapsas quando eles viviam... e, isto creiam é uma grande verdade...
A todo momento jovens estão morrendo vitimados pelas drogas, pelas bebidas, por acidentes automobilísticos e principalmente pelos excessos que cometem.
Então eu pergunto... onde estão estas Mães que se surpreendem com a morte de seus infantes que crescem rebeldes debaixo de suas asas... onde... É impossível que seus instintos de Mãe (não o instinto maternal que atinge a todas as Mães) não as tenha alertado, ou mesmo que não tenham falado mais alto ao seus ouvidos ou corações. Então se não ouviram ou não sentiram nada é porque estavam ausentes e, por esta ausência seus filhos pagaram com a vida, porque eles em ultima análise não pediram para nascer.
Não me sinto numa tarde ruim para falar tão friamente, mas num momento bom e propício para chamar a atenção de muitas mulheres que nunca deveriam ser mães, ou, querem ser chamadas de mães, apenas depois que perderem seus filhos.
Hipocrisia, talvez esta seja a palavra mais pesada que se carrega sem sentir nos ombros durante a vida. Afinal viser hipócrita muitas vezes é olhar para o outro lado da rua quando não se vive lá, e aqui as coisas continuam acontecendo como se nada significasse.
Enfim, tudo se encontra em algum lugar. Mesmo que este ponto e intersecção não possa ser visto ele existe, ainda que de forma a iludir os sentidos e mostrar uma realidade singular onde somente quem a vive pode ver.
São 7,30 horas do dia 21 de junho de 2010 e minha caminhada está longe de terminar.
- Olá Caminhante. Que os ventos que o traz sejam os bons ventos que levarão sua voz e seu amor a quem de si necessitar. Ouso interromper sua caminhada, meu querido amigo com um abraço de vida e um beijo de saudade e feliz por encontrá-lo, ainda que me pareça que você está inconformado com muita coisa que anda acontecendo à sua volta.
- Olá Iemanjá... eu estou bem, eu acho...
- Achar é para quem procura, então como você sempre procura creio que é certo você achar... Tenho muitos filhos, você sabe... e todos os filhos que tive não houve um só filho que não me fizesse questionar a Maternidade. Cada qual com sua identidade, com suas manias, com suas convicções, com suas necessidades... De todos os filhos nunca tive dois filhos iguais. E creia, meu querido Caminhante que, sou Mãe Espiritual de muitos filhos e mesmo assim, não tenho dois filhos iguais. Para mim o que importa é tê-los como filho e, poder servir à eles como uma Mãe que os alimenta espiritualmente, através da Fé na Natureza e em todas as coisas vivas, porque não há ensinamento maior do que o vivido e demonstrado pela natureza.
- Sabe Iemanjá, eu não questiono você, ou sua divindade, muito menos sua capacidade de ser Mãe, ou seu Dom natural e divino de ter muitos filhos. Eu questiono certas Mães, que servem apenas para parir e usar o filho como diploma para poderem viver sem dar explicações. Estas são as Mães que eu questiono, porque utilizam-se de um dom para esconder suas incapacidades, afinal, acham que ser Mãe é serem perfeitas, e impolutas.
- De certo que não, Caminhante... Olá Iemanjá, tão deusa como mulher... uma divindade que transformou a própria existência em um divisor de águas... Eu sei como é sentir ser Mãe e, sei também como é dificil manter-se Mãe durante todos os momentos em que a vida nos tem... Não quero defender as mulheres que se furtam de serem Mães para os seus filhos, mas também não posso permitir que elas sejam atingidas levianamente sem chances de se defenderem. Ademais, meu querido Caminhante, não é o habito que faz o monge. Ser Mãe é um aprendizado que se faz e que dura toda uma vida. É dificil... é uma tarefa dificil porque em algum momento deste aprendizado quando estamos nos preparando para o filho e para a vida, somos atingidas de surpresa pela morte do filho. Só isto, meu querido Caminhante, já é um sofrimento enorme. É um fardo muito pesado para ser carregado por uma única pessoa... Eu sempre soube que meu filho nunca me pertenceria, que eu seria o instrumento para servir ao mundo como exemplo e a ele como Mãe... e, mesmo assim, ciente de tudo, foi para mim um golpe muito duro sabê-lo cruxificado para salvar homens e suas gerações, que eu nunca conheceria. Portanto meu querido Caminhante talvez minha palavra neste momento a você seja... ser tolerante... pois estas Mães que o procuram a todo custo precisam de algumas palavras, então não as deixam ir sem ouvirem sequer alguma palavra que lhes permita sentir o que é esperança em seus corações.
- Olá Maria - diz Iemanjá - sábias palavras, poucas e sábias palavras...
- Olá Maria, verdade, suas palavras são verdadeiras, mas o que me move na direção em contestar não é o fato de terem perdido seus filhos mas de não terem cuidado de seus filhos, como se fôssem seus frutos preciosos...
- Olá Caminhante - enquanto caminhava pela montanha ouvi a conversa e não pude deixar de sentir uma vontade imensa de me juntar a vocês.
- Então seja benvindo Sidarta, diz Maria enquanto estendia as mãos para receber o visitante - como devemos chamá-lo...
- Buda, está muito bem... me chamem de Buda. Muitas estórias vocês devem ter ouvido a meu respeito. Sou um contemplador da natureza, e foi pela contemplação da natureza que aprendi a observar e valorizar, troquei todos meus bens pela contemplação porque achei que poderia ser mais util para meus irmãos vivendo a simplicidade do que pregando a riqueza como forma de sobreviver às dificuldades da vida. Afinal a pobreza não é demérito para ninguém da mesma forma como a riqueza não é uma qualidade... o que realmente importa nesta vida é a capacidade de poder sentir e doar os sentimentos. Doar incondicionalmente é a palavra chave para que a vida se perpetue sempre. E, neste caminho do Amor incondicional, à frente de todos estão as Mães, que desde o primeiro momento, ao saberem que estão grávidas de seus filhos, já os amam com intensidade e Fé e, já são capazes de trocarem suas vidas pelas vidas deles. Porém como toda regra tem excessão, ser Mãe implica em carregar consigo, mais excessões do que regras, até porque quando a vida gera a vida neste momento tudo deixa de ser pertinente à natureza apenas e faz parte de Deus.
- Mas você falando em Deus... Buda, o que há por tras de todas as filosofias?
- Por tras de todas as filosofias, meu amigo está o Universo e este Universo se revela utilizando toda harmonia para seguir em evolução então, quando se fala em Mãe, é preciso entender que esta condição depende de Deus. Sou um contemplador da natureza, não um observador que vive procurando defeitos.


Não sei por quanto tempo eu fiquei em minha montanha participando de uma conversa impossível de ser admitida como real, mas impossível de não ser entendida como vedadeira... M


Atribuo isto à forma de como o Universo se coloca diante de mim. Agora sinto que estou vivo e interagindo e que estou em uma de suas curvas, afinal reta alguma pode ser eterna... as curvas e as convergências sim.


Não estou aqui para explicar acontecimentos, mas para vivê-los e transformá-los em um bom caminho ainda que seja para a sua vida e, você não valorize nada disto.


Então, ainda sem olhar para trás, sigo trilhando a encosta norte onde o frio se faz presente denunciando os primeiros hálitos do Inverno que promete ser rigoroso este ano. Estou certo que minhas ações durante minha vida terrena, sejam algum dia interpretadas como passos que levaram as pessoas em direção ao conhecimento de si próprias e, não apenas em busca de uma filosofia onde sempre existe algum grupo que se beneficia. Nunca busquei por seguidores, nem pensei que isto fosse necessário para que eu seguisse em busca de meu dia seguinte, talvez por isto mesmo agora eu possa, do alto de minha montanha mágica, olhar em todas as direções e divisar em todas elas o horizonte. Assim, como no Universo todas as linhas convergem para um unico ponto, onde a distancia se faz com a presença...
Nunca estarei distante o bastante para me fazer ausente...

Léo S.Bella
24/06/2010

4 comentários:

Valéria Russo disse...

LÉO QUERIDO..
TEXTO LINDO E QUANTA VERDADE HA NELE..
SABER-SE MÃE E ENTENDER-SE COM SEUS ERROS E ACERTOS É A MAIOR AMBIÇÃO DE UMA MULHER..
SER MÃE É DIFICIL, É QUASE QUE UM SACERDÓCIO, QUE SÓ QUEM TEM ESSE DOM O FAZ COM ALEGRIA E HUMILDADE FRENTE O PRESENTE QUE FOI NOS DADO POR "ELE". UM FILHO!!!!
EU TENHO EM CASA UM RESGATE...VC SABE... E COMO FELIZ EU SOU POR TER ESTA GRANDE CHANCE DE CRIAR UM ANJO E PODER ASSIM EVOLUIR COMO SER HUMANO...
PRA VC CARO LÉO SÓ TENHO A DIZER UMA COISA....
TO COM SAUDADES!!!
BJUIVOS NO SEU CORAÇÃO .

NOSSA!! COMO EU AMO A VIDA! disse...

EU NÃO TIVE AINDA ESSA OPORTUNIDADE
DE SER MÃE, MAIS COMO ESTOU MUITO FELIZ E CONFIANTE QUE ESTOU NO
CAMINHO CERTO, CAPAZ DE DAR CERTO
A MATERNIDADE P/ MIM, SEI QUE MINHA
MÃE ESTÁ PERTO DE MIM SEMPRE E NUNCA ESTAREI SÓ...

OBRIGADO LEO...BJOS

Anônimo disse...

BOA TARDE LÉO...
FOI MUITO BOM TER LIDO ESTE TEXTO. VC CONHECE TODA MINHA CAMIHADA COMO MÃE, MEUS DESAFIOS COM MEU FILHO...
UM DIA QUERO QUE ME RESPONDA: DE TODAS OS TIPOS DE MÃE...QUE MÃE SOU EU? MÃE SÁBIA, TAPADA, QUE SE FAZ DE VÍTIMA OU UMA FORTALEZA?
VOLTA LOGO, VC ESTÁ FAZENDO FALTA. SINTO SAUDADES SUA, DA VAL...
BJS NA ALMA!!!!

MARILDA disse...

BOA TARDE LÉO...
FOI MUITO BOM TER LIDO ESTE TEXTO. VC CONHECE TODA MINHA CAMIHADA COMO MÃE, MEUS DESAFIOS COM MEU FILHO...
UM DIA QUERO QUE ME RESPONDA: DE TODAS OS TIPOS DE MÃE...QUE MÃE SOU EU? MÃE SÁBIA, TAPADA, QUE SE FAZ DE VÍTIMA OU UMA FORTALEZA?
VOLTA LOGO, VC ESTÁ FAZENDO FALTA. SINTO SAUDADES SUA, DA VAL...
BJS NA ALMA!!!!